03/12/2019 - Reprodução humanaLeia em 5 minutos

Gravidez por fertilização in vitro: Quais as taxas de sucesso?

Imagem de Gravidez por fertilização in vitro: Quais as taxas de sucesso?

Dificuldade para engravidar ou o diagnóstico de infertilidade, leva muitos casais a recorrerem às técnicas de Reprodução Humana Assistida. As mais comuns são a Inseminação Artificial e a Fertilização in Vitro (FIV). Aqui, veremos quais as chances de uma gravidez por Fertilização in Vitro dar certo.                                                      

A FIV é um dos procedimentos mais conhecidos na medicina reprodutiva, por oferecer altas chances de sucesso. E desde o nascimento do primeiro bebê de proveta, Louise Brown, em 1978, o sonho da maternidade ou paternidade vem sendo realizado.

Gravidez por Fertilização in Vitro: Quais a probabilidades de sucesso?  

A probabilidade de sucesso de uma gravidez por Fertilização in Vitro varia dependendo das características e causas de infertilidade diagnosticadas no casal. Quando recorrem a FIV, a maioria dos casais querem saber sobre as chances de sucesso na primeira tentativa.

Pois bem, uma mulher antes dos 35 anos de idade ou um casal sem nenhum problema de fertilidade, têm em torno 20% de chance de engravidar naturalmente a cada ciclo.

Já um casal que se submete ao tratamento de reprodução assistida, em que a mulher possui menos de 35 anos de idade e embriões com alta qualidade, tem até 50% de chance da gravidez por fertilização in vitro ter sucesso na primeira tentativa. É possível notar que a chance é maior do que uma gravidez espontânea. E em até três tentativas de FIV pode aumentar para até 90%.

Entre 35 e 40 anos da mulher, as chances de sucesso da FIV caem para 30 a 40%, e diminuem progressivamente. Após aos 42 anos, chegam no máximo a 10%.

Como lidar com as chances de uma gravidez por fertilização in vitro?

Se por um lado, uma gravidez por fertilização in vitro gera mais esperança e expectativas para as pessoas com dificuldades de alcançar a maternidade/paternidade, por outro lado, o tratamento pode desencadear também sintomas de ansiedade, sentimentos de tristezas e frustrações.

Gravidez por fertilização in vitro: Quais as taxas de sucesso?

Com isso, alguns médicos sugerem ao casal a acompanhamento com um psicólogo durante seu tratamento. De forma geral, não há como evitar a grande ansiedade que existe tratamento. Por isso, é importante buscar ajuda multidisciplinar a fim de estabelecer o equilíbrio emocional e obter maiores chances de sucesso no tratamento.

O que fazer se a primeira tentativa não deu certo?

Uma primeira FIV sem sucesso não significa a impossibilidade de engravidar, mas sim que pode ser necessário alterar o modo de estímulo hormonal ou o procedimento de fecundação e desenvolvimento do óvulo. O novo modo será escolhido após a identificação da causa da falha na primeira tentativa.

O primeiro passo é rever todas as informações obtidas ao longo do tratamento: documentos, resultados de exames, condições fisiológicas. Por exemplo como idade, fator de fertilidade, respostas e protocolos do estímulo à produção dos óvulos.

Em suma, também serão avaliadas a fertilização e as características morfológicas a cada 24 horas dos pré-embriões. Desta forma, é possível saber o grau de qualidade de cada pré-embrião para posteriormente realizar a transferência.

Com estes diagnósticos, consegue-se verificar a existência de algum fator extremamente explícito que tenha influenciado na primeira tentativa. Assim, o médico poderá buscar a ação mais assertiva para a segunda etapa.

Na segunda tentativa de FIV, mudam as chances de sucesso?

Antes de tudo, é importante destacar que não existe um limite de tentativas para que a FIV dê certo. Sendo que o número de repetições dependerá das condições de saúde e características de cada casal.

A cada nova tentativa, fica ao médico a responsabilidade de orientar quanto às futuras possibilidades em relação às anteriores, e ainda, indicar quando o tratamento deve ser alterado.

Na segunda tentativa de FIV, as chances de sucesso podem sim ser maiores, pois:

  • Repetir um tratamento em seguida do outro pode fazer com que o estímulo obtido na primeira tentativa gere óvulos para a segunda;
  • Na segunda tentativa a equipe médica já está ciente de como foi a resposta da paciente ao tratamento na primeira tentativa, e as opções que não funcionaram consequentemente são descartadas;
  • Mudar hábitos como manter uma alimentação mais saudável, parar de fumar e se manter tranquila durante o tratamento podem também contribuir a maiores chances de sucesso na segunda tentativa de FIV.

Quando pode ser feita a segunda tentativa de FIV?

Assim que descoberta a possível causa da falha da primeira FIV, a segunda tentativa pode ser realizada logo que as taxas hormonais da mulher se normalizarem.

Isso normalmente acontece em um ciclo menstrual, mas somente um médico especialista em reprodução humana irá confirmar o período ideal que o casal deve aguardar. Isso porque as condições hormonais podem alternar caso a caso.

Alguns fatores que influenciam os resultados da FIV

A principal causa de uma FIV não ser bem-sucedida é a falha da implantação do embrião. É possível isso acontecer tanto em tratamentos de reprodução assistida como em uma gravidez espontânea. Pois, em ambas existem condições relacionadas à qualidade do embrião e à receptividade do endométrio para que o embrião seja implantado.

Alguns fatores que podem contribuir ou não o sucesso da FIV são a idade da mulher, a qualidade dos espermatozóides e dos óvulos. Porém, conforme dito anteriormente, apenas uma reavaliação médica irá indicar as verdadeiras causas e a nova direção a seguir.

Quando a causa é a má qualidade dos óvulos, outra alternativa é a ovodoação, isto significa, receber os óvulos de outra mulher. Se o problema for no endométrio, uma opção pode ser o cultivo de pré-embriões até o estágio de blastocisto – atingido no quinto dia do embrião, quando a cavidade interior do embrião, chamada de blastocele, apresenta células que darão origem à placenta e ao feto.

No cultivo dos pré-embriões, óvulos e espermatozóides são unidos em laboratório após a FIV, e o pré-embrião se desenvolve em laboratório com condições adequadas. Isso leva um tempo que pode variar entre 2 e 6 dias, até o dia da transferência para o útero ou congelamento.

Aproveite e entenda agora a diferença entre as técnicas de Fertilização in Vitro e Inseminação Artificial.

Não encontrou sobre o assunto desejado?

Conte-nos mais sobre o conteúdo que espera encontrar em nosso blog.