30/07/2019 - InfertilidadeLeia em 4 minutos

Endometriose: o que é e qual relação com a infertilidade?

Imagem de Endometriose: o que é e qual relação com a infertilidade?

O que é Endometriose?

Endometriose é uma doença de alto risco à fertilidade feminina, causada quando o tecido interno que reveste o útero, chamado endométrio, cresce mais do que o natural, começando a se implantar em outros órgãos da região abdominal, podendo causar dor extrema e desconforto às mulheres acometidas pela doença.

Causas

Mensalmente os ovários produzem hormônios que estimulam as células da mucosa do útero (endométrio) a se multiplicarem preparando-as para receber um óvulo fertilizado. Nesse processo a mucosa aumenta de tamanho e fica mais espessa.

Se essas células (chamadas de células endometriais) crescerem fora do útero, surge a endometriose. Ao contrário das células normalmente encontradas dentro do útero, que são liberadas durante a menstruação, as células fora do útero permanecem e crescem no lugar.

As origens da endometriose ainda não são claras, mas estudos médicos apontam algumas possíveis causas para o problema:

Menstruação retrógrada

Isso acontece quando o sangue da menstruação, com as células do endométrio, sofre um refluxo para a cavidade pélvica por meio das trompas de falópio. As células endométricas perdidas instalam-se nas paredes dos órgãos da região pélvica e começam a crescer.

Essa condição parece acontecer durante o período menstrual em praticamente todas as mulheres. Porém, acredita-se que o sistema imunológico exerce papel fundamental na proteção contra a adesão e o crescimento das células endometriais.

Crescimento de células embrionárias

As células que revestem o abdômen e as cavidades pélvicas são originárias de células embrionárias comuns. No processo de diferenciação tecidual, sob determinados estímulos ainda desconhecidos, algumas células que revestem essas cavidades podem se converter em tecido endometrial, iniciando a doença.

Sistema imunológico deficiente

Deficiências no sistema imunológico também podem facilitar o surgimento da doença, tornando o corpo incapaz de reconhecer e destruir as células endometriais que crescem no lugar errado.

Outras causas

Após alguma cirurgia, como por exemplo a de histerectomia ou cesariana, as células do endométrio podem prender-se às incisões cirúrgicas. Além disso, o sistema linfático pode transportar células do endométrio para outras partes do corpo e dar origem a um quadro de endometriose em locais mais distantes, como o umbigo.

Qual a relação da endometriose com a infertilidade?

A relação da endometriose e a infertilidade está em 50% dos casos, isto quer dizer, que 50% das mulheres com endometriose têm infertilidade e 50% do casos de infertilidade feminina podem ter a endometriose como uma das principais causas. 

teste de gravidez

O principal fator de infertilidade causado pela endometriose é o tubário, ou seja, as tubas uterinas ficam danificadas. O que acontece é que o processo inflamatório crônico da doença leva à formação de aderências do peritônio com outros órgãos pélvicos, o que pode resultar na obstrução das tubas uterinas e na redução da sua mobilidade.

Essa condição dificulta ou até mesmo impede o transporte do óvulo e espermatozoides, e consequentemente a fecundação.

A presença de endometriomas, conhecidos também como cistos de endometriose, nos ovários também pode comprometer a fertilidade feminina. Outra hipótese em estudo é que a endometriose cause alterações inflamatórias e imunológicas no útero e endométrio que interferem a implantação do embrião.

Não é possível engravidar com Endometriose?

mulher gravida

A endometriose não impede que uma mulher possa engravidar. Pode ocorrer em alguns casos, após as primeiras semanas de gestação suplementar progesterona para evitar as chances de aborto, com isso a mulher seguirá a gravidez normalmente. Não existe nenhum risco de má formação do feto ou parto prematuro, diretamente relacionado à endometriose. 

Classificação

A endometriose pode ser classificada em três tipos: leve, moderada e grave, sendo que a diferença entre elas é baseada em uma pontuação que se faz após a paciente ser operada ou submetida a uma videolaparoscopia. Desta forma, no intraoperatório o médico poderá ver quantas e onde estão as lesões, fazendo uma somatória de pontos e classificando a doença. 

Tipos

A doença pode ser classificada em seis tipos:

Endometriose superficial

Normalmente atinge mais o peritônio – tecido que recobre internamente os órgãos da cavidade abdominal e pélvica.

Endometriose ovariana

Acomete os ovários, tendo como principal causa a formação de cistos com um conteúdo sanguinolento dentro do ovário.

Endometriose profunda

Ocorre quando os focos da doença, que inicialmente têm entre um e dois milímetros, infiltram-se na parede de um órgão por mais de cinco milímetros. Dentro da endometriose profunda é possível encontrar a endometriose de septo reto-vaginal, que acomete o tecido que divide a vagina do reto.

dor endometriose

Endometriose de parede

Acomete a parede abdominal, localizada próxima ao umbigo. Elas formam nódulos que são mais dolorosos no período menstrual. O diagnóstico é feito por um ultrassom de parede abdominal, de preferencialmente no período menstrual, para identificar essa lesão.

Endometriose pulmonar

É uma forma bastante rara da doença. Pode ocorrer quando o tecido endometrial responsivo aos hormônios se desloca através da corrente sanguínea e se desenvolve na região pulmonar.

A manifestação clínica desta doença acontece por meio do sangramento nas vias áreas no período menstrual, normalmente por meio da tosse. O diagnóstico é possível com exames de imagem.

Aos primeiros sinais de endometriose, a mulher deve procurar ajuda médica para a realização de exames e um diagnóstico detalhado da doença, bem como, o melhor tratamento a ser feito. Descubra agora, o passo a passo para cuidar da doença no artigo Qual o melhor tratamento para endometriose

Não encontrou sobre o assunto desejado?

Conte-nos mais sobre o conteúdo que espera encontrar em nosso blog.